Traumas na vida da criança podem agravar o TDAH (Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade/impulsividade)

Estudo apresentado em um encontro anual da Sociedade Acadêmica de Pediatria, no Canadá, constatou que crianças com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, que passaram por pelo menos quatro eventos traumáticos, como a morte de um familiar, têm três vezes mais chances de precisar tomar medicação. Os pesquisadores utilizaram dados concedidos pelos pais de 65.680 crianças e adolescentes com idades entre 6 e 17 anos sobre questões como diagnóstico do TDAH, sua gravidade, uso de medicamentos e experiências adversas que os filhos teriam passado. Entre elas estavam tópicos sobre pobreza, divórcio, morte de um dos pais ou responsável, violência doméstica, violência no bairro, abuso de substâncias, encarceramento, doença mental de familiar e discriminação.

Cerca de 12% das crianças foram diagnosticadas com TDAH. Entre aquelas com o transtorno, 17% haviam tido ao menos quatro eventos traumáticos, ante 6% dos menores sem o transtorno. As que viveram quatro ou mais experiências adversas apresentaram três vezes mais chances de usar medicamentos do que aquelas que tinham três ou menos eventos traumáticos similares. No atendimento psicológico infantil, conhecer a constância e os tipos de quaisquer experiências adversas numa criança diagnosticada com TDAH pode ajudar a guiar esforços para lidar com o trauma e, ainda, melhorar a precisão do diagnóstico para melhor conduzir o tratamento.

Bibliografia: Associations Between Adverse Childhood Experiences and ADHD: Analysis of the 2011 National Survey of Children’s Health​Nicole M. Brown, Suzette N. Brown, Miguelina German, Peter F. Belamarich e Rahil D. Briggs.

 

Fonte:

Dra. Silvana Frassetto (CRP 07/18986) – É Psicóloga Clínica, e possui especialização em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental e Terapia do Esquema (Modelo de Terapia Cognitiva com foco no tratamento de diversos transtornos), pela Wainer Psicologia Cognitiva – Porto Alegre (RS) e Institute for Schema Therapy (Nova Iorque). É Doutora em Bioquímica (ênfase em Neurociências) pela UFRGS. Atua como docente no Curso de Psicologia da ULBRA, e outras instituições no RS e outros Estados.

Site: www.silvanafrassetto.com.br

Currículo Lattes:

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4784763P8

 

by Silvana Frassetto

Deixe uma resposta